António Zambujo – Guia (2010)

Capa do disco de António Zambujo - Guia (2010)

"Guia", marca o muito esperado regresso de António Zambujo em 2010. O quarto CD segue a linha de "Outro Sentido" de 2007, com a diferença de ter sido um disco construído essencialmente em viagem, do qual surgem algumas das colaborações (entre autores portugueses e brasileiros) destacam-se: Rodrigo Maranhão, Márcio Faraco, João Gil, João Monge ou Aldina Duarte.

Quarto álbum da sua carreira, "Guia" dá continuidade à melancolia luminosa que caracteriza a música de António Zambujo.

António Zambujo - Outro Sentido (2007)

Capa do disco de António Zambujo - Outro Sentido (2007)

Em "Outro Sentido", o cantor alentejano dá continuidade ao trabalho anterior, "Por Meu Cante", no qual dá a conhecer as suas outras influencias musicais para além do fado: a Música Tradicional Portuguesa, a MPB (Música Popular Brasileira) e o Jazz. "identifiquei¬me desde sempre com os temas tradicionais portugueses, com as canções de João Gilberto e Caetano Veloso assim como com a voz e o trompete de Chet Baker".

Neste disco, Zambujo lançou um desafio a si próprio ao recriar clássicos da música de Portugal e do Brasil. "Queria actualizá-los musicalmente. Alguns dos temas escolhi-os porque sempre gostei muito das interpretações que já tinham sido gravadas e queria poder cantá-los à minha maneira".

António Zambujo - Por Meu Cante (2004)

Capa do disco de António Zambujo - Por Meu Cante (2004)

António Zambujo nasceu em Beja e cedo encontrou no Fado uma vibração comum ao Cante alentejano. Estuda na Academia de Música de Beja e aos 16 anos ganha um concurso de Fado. Muda-se para Lisboa e passa a cantar no Clube de Fado, altura em que é convidado para o musical “Amália” para interpretar o papel de primeiro marido de Amália Rodrigues.
No ano de 2002 grava o disco “O Mesmo Fado” e em 2004 “Por meu Cante”. Desde que iniciou a sua carreira, António Zambujo actuou já em diversas partes do mundo e em 2006 foi distinguido pela Fundação Amália Rodrigues com o prémio “Melhor Voz Masculina de Fado”.

António Zambujo - O Mesmo Fado (2002)

Capa do àlbum de António Zambujo - O Mesmo Fado (2002)

O primeiro registo de António Zambujo tem uma mão cheia de participações de autores e compositores da maior importância no fado. Participam, entre outros, José Luís Gordo, Mário Rainho, Jorge Fernando, etc... António Zambujo compõe em co-autoria 2 fados.